reciclar:

fazer passar por um novo ciclo;

reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima na fabricação de novos produtos.

RECICLAR PARA REINVENTAR

As primeiras produções da Leninha foram cortadas e costuradas pelos dois sócios fundadores da marca, Maria Antonia e Miguel. Desde aquele primeiro momento, a discussão sobre o que aconteceria com aquelas calcinhas que estavam sendo produzidas ao final de sua vida útil esteve presente. Ao longo dos dois anos seguintes, continuamos pesquisando, fazendo ligações e buscando projetos que pudessem solucionar a falta de encaminhamento dessas peças.

Nossa ideia inicial, era sermos um ponto de coleta e encontrar algum parceiro ao qual pudéssemos encaminhar esses descartes. A surpresa foi grande quando não achamos nenhuma iniciativa que se ocupasse em solucionar o problema do descarte das roupas de baixo usadas. No dia em que o Miguel ligou na Secretaria do Meio Ambiente da cidade de São Paulo e nos foi sugerido que incinerássemos ou jogassemos no lixo essas peças, ficou claro que deveríamos criar uma solução para o problema do descarte de roupas íntimas.

Quando jogamos peças de roupa fora, a grande maioria vai parar em aterros e lixões, que são uma das maiores fontes de emissão de metano. Só em 2015, 100 bilhões de peças de roupas foram produzidas no mundo, 70% dessas vão para o aterro ou incineração ao final de sua vida útil. Nesse mesmo ano de 2015, 92 milhões de toneladas de resíduos têxteis foram descartados em todo o mundo pela indústria da moda. Considerando que o setor seguiu crescendo, os números são bastante assustadores.

As roupas de baixo são, geralmente, compostas por materiais feitos a partir da mistura de dois tecidos (como algodão e elastano, por exemplo). Além disso, são peças pequenas e delicadas. Todos esses fatores impossibilitam que uma calcinha volte a ser um tecido para formar novas peças. Algumas iniciativas de reciclagem que existem no exterior, vendem esses descartes para outras indústrias que transformam calcinhas, cuecas e sutiãs em matéria prima para revestimentos de carros ou forro para carpetes. 

Depois de muito ponderar, decidimos que gostaríamos de mitigar os impactos da nossa operação e ser responsáveis por todo o caminho e processo desse descarte, o que não acontece em nenhuma iniciativa de reciclagem de roupas no mundo.